Amanhã… amanhã faz um ano que Magro foi embora

Muitas coisas ainda não entraram no que chamaria de normalidade. Muitas coisas ainda são difíceis de fazer. Outro dia venci um desafio: comi uma mexerica! Mexerica carioca, a preferida do Magro. Comprava dúzias e mais dúzias pra ele tão logo aquelas delícias aparecessem nas prateleiras do hortifruti. E não havia uma sequer que apodrecesse na fruteira!

Assistir a shows ainda é difícil… Vi alguns, mas confesso que não é fácil, não.

Cantar ainda é um grande desafio que encaro de frente. Minhas hermanas do Vésper são ninho garantido para esta faceta. (Admiro tanto Miltinho, Aquiles, Dalmo! Quanto amor e coragem mora no coração desses homens! E agora mais um corajoso se une ao MPB4, o Paulinho Pauleira)

Assistir House? Ainda não, apesar de Gabriela ter me falado que é possível…

A música… meu ofício. Não há um dia sequer que o Magro não apareça na minha lembrança enquanto estou a serviço dessa arte maravilhosa, bênção de poder compartilhar minhas vivências e pesquisas com meus alunos.

Magro estava presente em todas as facetas da vida. Mesmo profissionalmente partilhávamos, ambos apaixonados pela música vocal e pela maravilha que é cantar em grupo.

Esse homem que foi embora “fora do combinado”, como bem disse o Rolando Boldrin, deixa comigo a sensação permanente de que posso encontrá-lo a qualquer momento, tão presente se faz sempre. Hoje mesmo, voltando pra casa, era viva a sensação de tempos atrás quando voltava pra casa e o encontrava trabalhando no programa de rádio, assistindo um jornal na televisão ou envolvido com algum arranjo. Ou quando ia buscá-lo no aeroporto… A felicidade do reencontro era muito gostosa, como toda felicidade costuma ser. Às vezes parece que ele nunca foi embora, embora isso possa parecer estranho.

Amor, admiração, parceria. Nos encontramos, nos reconhecemos, desfrutamos da companhia e cumplicidade um do outro o tempo possível. Saudade? Saudade é um tanto do que fala esse poema que Magro me mandou uma vez… No mais, é suportá-la.

CAM00757

Anúncios
Esse post foi publicado em Coisas do dia a dia, Uncategorized. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Amanhã… amanhã faz um ano que Magro foi embora

  1. Augusta disse:

    Monica, lindo o seu texto…, linda a sua declaração de amor! Que você encontre forças para suportar esssa saudade!

  2. Heloisa disse:

    Fui ao show em Niterói e fiquei comovida com o envolvimento dos quatro. A qualidade do trabalho, mas especialmente do sentimento. Me senti parte (mesmo se não merecidamente) deste abraço a um trabalho tão precioso como é o do Magro e do MPB4.

  3. bruxadovinil disse:

    Felizes aqueles que tem do que sentir saudade.Que lindo poema, quanta verdade alí!
    Beijo e muita LUZ!

  4. jose antonio de brum sabença disse:

    Grande Magro!!!Conheci em Conservatória a cidade da seresta…Grande MPB4!!!

  5. Wagner Amorosino disse:

    Mônica querida! Comovente, sincera, verdadeira! Muita paz, saúde e música pra você!

  6. lud disse:

    Sim, você vai encontrá-lo. É o que diz minha convicção, minha crença. A passagem aqui é só um “vou-ali-já-volto”…

  7. tania coimbra pereira disse:

    O Magro, através e com o MPB-4, fez parte de toda a minha vida mas, por tê-lo visto em palco tantas vezes durante meu período universitário, posso dizer que me embalou, me acalentou e, sempre, me emocionou muito. Que ele esteja em paz!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s