Magro por Gabriela Ramos Waghabi

SP, 08/08/2013

Há 1 ano exato fui acordada numa quarta feira bem cedinho com a noticia que mais temia e esperava: meu pai já não estava ao meu alcance. Foram 2 meses de um sofrimento que ainda agora não posso lembrar porque meu coração dói, de verdade mesmo e não modo de dizer, mas eu só entendi de verdade o q ia acontecer na última semana. Até então, eu ainda achava que ele ia vencer. A ideia de que ele simplesmente não ia ter alta estava tentando entrar há dias na minha cabeça , mas eu mantinha a porta bem fechada pra ela.

Porque meu pai era um super herói, sabe? Toda menina deve achar isso, mas o meu era mesmo. Ele tinha os superpoderes da música, da palavra otimista, da reinvenção de si mesmo. Vi meu pai renascer muitas vezes, e sempre lembro dele quando a vida parece estar num beco sem saída, porque ele achava uma, sempre. Vi meu pai ter tudo, perder tudo e recuperar só o que era importante. Morar de favor, chorar escondido, ser ovacionado de pé por milhares de pessoas, conhecer lugares no mundo, conhecer pessoas boas e pessoas famosas, e ser ele mesmo uma pessoa boa e famosa. Conquistar qualquer um com sua integridade e caráter. E nunca desistir da vida e de ser feliz.  Era ou não um super herói? Quando eu era menina não entendia o jeito dele. Precisei de maturidade pra entender que o amor dele não vinha com gestos fáceis e óbvios, mas no olhar, no tom da voz, na certeza que ele estava lá mesmo que a muitos quilômetros de distância, me olhando sem interferir e sem cobrar. Mas me olhando.

No inicio foi só alivio, porque eu já não aguentava mais ver ele passando por aquilo. Queria que ele parasse de sentir dor, mesmo que o preço fosse alto como seria. Me despedi dele na UTI e pedi pra ele ir, pra deixar pra lá, pois a vida que se anunciava não era pra ele. Meu pai na cama, sem independência, sem as coisas q ele gostava de fazer? Impossível. Não pensei em mim naquela hora, até porque não tinha ideia do que ia acontecer com o tempo. E hoje, de forma egoísta, queria que ele tivesse ficado, porque a saudade é maior, é imensa, e não passa! Às vezes acho que ela diminuiu, mas aí vejo uma foto ou ouço a voz dele e toda vez o espanto por ele não estar mais em lugar nenhum me parte ao meio. Como assim?

Essa foi a maior surpresa pra mim: os super heróis também morrem! Sempre tem uma kriptonita capaz de derrubar até o mais forte. Mas eu só posso agradecer a sorte de ter tido um pai que fez diferença na vida de tanta gente (não é todo mundo que faz né, tem gente que só passa). E fazer o possível para exercer as lições aprendidas, principalmente a de não desistir jamais. Todo beco tem uma saída, foi ele que me ensinou. Honestidade e caráter, foi ele que me ensinou. Saudade infinita, foi ele que me ensinou também.

Amo vc, pai.

1975-Magro e Gabriela

1975 – Magro e Gabriela passeando no sítio em Passa Três, RJ

Anúncios
Esse post foi publicado em Magro por outros olhos. Bookmark o link permanente.

25 respostas para Magro por Gabriela Ramos Waghabi

  1. Que texto lindo e sensível, Gabriela! Realmente, a saudade é imensa e todos que “frequentam” esta página guardam lindas lembranças dele.

  2. maria lúcia disse:

    Muito amoroso o texto, e mostra como ele era amado e talvez não tivesse essa sensação. Aprendi a gostar desses rapazes MPB4 em 1969, e até hj curto muito meus LP’s com suas músicas maravilhosas. Não apareceu nada igual até hj na música brasileira. Eles viverão para sempre em quem curte o belo que é nosso.

    • Jane disse:

      Eu também sempre admirei o MPB4, desde Roda Viva, naquele festival em que cantam junto com o Chico Buarque. Eles fizeram a diferença, sim! E como Maria Lucia disse, não apareceu nada nem parecido até hoje. É o preço que se paga na vida. Tudo passa…O bom é o que sentimos e o que ficou na memória, nos filmes, nos videos, salvo até da memória que pode falhar.

  3. Fernanda disse:

    Gabi, seu texto é emocionante. é como ver vc falando. Essa declaração foi do fundo do coração. Querida absorva a força, perseverança, otimismo, enfim o lado guerreiro deste “Super Herói”. Traga essas qualidades que vc aprendeu ,dentre outras tão boas, e coloque dentro de vc.
    Te amamos. Bjs

  4. Marco Antonio disse:

    Eu gostava demais do seu pai, viu? Não o conheci pessoalmente, mas isso é só um detalhe.
    Todo meu carinho por você.

  5. Nelson Brauwers disse:

    Lindo texto, linda homenagem . Todos nós que gostamos do MPB4 sentimos muito esta grande perda da nossa musica. No dia 14 de setembro estarei num show do MPB 4 em Porto Alegre e com certeza todos que lá estarão se lembrarão deste grande musico. Grande magro !!

  6. Luiz Antonio dos santos disse:

    . . . simplesmente a “Saudades Tomando o seu Lugar ” . . .

  7. nossa …. Gabriela !!! chorei ……….

  8. Fernanda Rêgo disse:

    Texto sensível… emocionante… lindo, como vc deve ser Gabriela, Parabéns!!! Seu pai deve ter tido sempre muito orgulho de vc e sobretudo ter partido com a consciência tranquila sabendo que vc absorveu o melhor dele.
    Fui e continuo sendo fã do MPB4 desde que me entendo por gente, como se diz. O talento desse pessoal é único. Sempre foi e por isso jamais será esquecido. Bjo.

  9. Vera Levy disse:

    Gabriel, a dor não passa mas as lembranças preenchem certo espaço. O texto é muito lindo e você uma pessoa de sorte por ter tido um pai como ele. Nós, que o conhecemos por causa da musica, também tivemos a sorte de poder ouvi-lo. O Brasil perdeu um grande homem e um extraordinário músico. Em encanto perdeu a terra, o que em canto ganhou o céu. Bjs

  10. Vera Levy disse:

    Gabriela, no momento em que postei, vi que faltava o A de GabrielA.
    Mil desculpas, pois não consegui voltar para corrigir. Bjs

  11. stella2011 disse:

    chorei…lindo!

  12. Simone disse:

    Gabi, amei! Amor assim é sempre bom colocar pra fora. Contagia o mundo.

  13. miriam Nudelman disse:

    Minha linda.o mesmo aconteceu aõ meu. Pai.eu não podia saber a verdade pois estava grávida!e JA havia tido 2abortos.bem ele TBM para mim era meu pai único e BOM.muito lindo,por dentro e por fora.e eu não saber .me esconderam.agora eu entendo.o que não me conformo,é que mesmo damasabendo que não havia +o que fazê

  14. OLGA RESENDE disse:

    Gabriela. Conheci seu pai na época do Colégio Brasil. Lembro-me muito bem quando ele apareceu na nossa casa (dentro da alameda do colégio) com um cordeiro vivo. Lá o animal foi sacrificado (pena) preparado por ele e saboreado por nós. Grandes e inesquecíveis lembranças. Bjs..

  15. Zeca Torres disse:

    Embora não tenha tido a honra de conviver com o Magro, sempre fui um admirador do seu talento e seu trabalho dentro do MPB4. Agora, algum tempo após sua partida, experimento a emoção de ler um depoimento tão terno, apaixonado… da filha dele. Obrigado, Gabriela. Vc conseguiu me deixar com um nó na garganta. E – tenho certeza – seu pai, onde quer que esteja, está feliz e orgulhoso de ter deixado nesse mundo uma pessoa tão amorosa e sensível.

  16. lud disse:

    Dor de filha que não dá pra medir. Lindo.

  17. Maze Cintra disse:

    LIndo Gabriela, que paizão! Saudade sempre do querido Magro.

  18. Heloisa disse:

    Minha admiração por seu pai foi culpa do meu pai, que também se foi meio de improviso há algum tempo. Obrigada pelo seu texto. Seu pai fez realmente toda diferença na vida do meu pai, que foi músico, e faz na minha também.

  19. Luciana disse:

    Gabriela, lindo texto! Senti sua emoção…e não consigo me imaginar sem o meu super-herói!

  20. vilhena disse:

    Parabens gabriela recorde sempre os boms momentos com seu pai que junto com seus companheiros formaram o maravilhoso mpb4.

  21. Fabiana De Lazzari disse:

    Nossa, Gabriela, que lindo texto, que lindas palavras… Emoção pura – aí e aqui. Obrigada por ter dividido sua emoção com a gente.

  22. Antonio Eduardo Schreiber disse:

    Muito bonita está mensagem , realmente o amor de filha para com o Pai , conversei algumas vezes com seu Pai aqui em Curitiba , que Deus possa estar abençoando sua família.

  23. Carmelita ( mãe da Isabela) disse:

    Gabriela vc fez a maior declaração de amor de uma filha para um pai. Mesmo ele já não estando mais presente, tenho certeza de que ele estará sempre ao seu lado! Fiquei muito emocionada! Bjs

  24. Amélia militao disse:

    Muito lindo Gabriela,não conheci o seu pai,mais basta olhar pra vc é Vera o carater dele,tenho profundo respeito e admiração por vc exemplo de profissionalismo,um exemplo a ser seguido,ficava horas dias falando de vc Gabriela.Em poucas palavras te amo dra Gabriela!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s